Ordem Terceira

“Ser carmelita é um estilo de vida”

A Ordem Terceira do Carmo (OTC) é composta por leigos carmelitas que pela graça batismal e pela profissão na Ordem, são chamados por Deus a exercer de um modo peculiar sua missão sacerdotal, profética e real na Igreja e a ser fermento cristão nas atividades temporais, nas quais estão profundamente envolvidos.

Para entrar na OTC, em qualquer Sodalício, é necessário ser batizado e católico praticante. Não pode pertencer a outra Ordem Religiosa e precisa estar ciente das obrigações para com o Sodalício. “É necessário, também, estar ciente de que ser carmelita de OTC não é estar numa pastoral, movimento ou associação religiosa paroquial. Ser carmelita é cumprir a Regra de Vida e ter em mente que pertence à Ordem do Carmo, que tem como superior o Prior Geral da Ordem e o Prior Provincial”, explicou Ir. Paulo Daher.

Segundo ele, uma pessoa que sinta-se chamada a ingressar na OTC deve procurar um irmão ou irmã que o apresente ao Sodalício ou ter a iniciativa de procurar o Prior ou algum irmão do Conselho do Sodalício, que o orientará. É necessário, ainda, que o candidato tenha uma carta de apresentação do pároco ou de algum padre que ateste a sua idoneidade.

“A formação na Ordem Terceira, de acordo com a Regra de Vida e com os Estatutos dos diversos Sodalícios, se dá em cinco anos assim distribuídos: Postulantado, 12 meses; Noviciado, 12 meses; Profissão Provisória por 03 anos, e Profissão Perpétua ao fim do 3º ano da Profissão Provisória”, explicou Daher.

Sempre ao final de uma etapa, em rito próprio, acontece a cerimônia de passagem para a etapa seguinte. Ao final do terceiro ano de Profissão Provisória, o irmão ou a irmã, faz sua Profissão Perpétua, onde emite os votos de obediência, pobreza e castidade, segundo o estado de vida a que pertence. Os conteúdos, para cada etapa de formação, estão reunidos num Caderno de Formação que cada Sodalício possui e que serve de parâmetro para o Formador e sua equipe.

“Entrei para a Ordem Terceira para viver mais de perto essa espiritualidade tão bonita e profunda, pois temos no Profeta Elias um Pai Espiritual que nos conduz a zelar pelas coisas de Deus e a sermos imitadores do seu profetismo; temos em Maria, Mãe e Irmã dos Carmelitas, o modelo e inspiração que nos aponta Jesus. Tudo isso me atraiu para o Carmelo. ‘Ser’ carmelita é um estilo de vida, por isso não ‘estou’ na OTC. Estar é um estado passageiro, mas ‘ser’ é abraçar de corpo e alma o estilo de vida do Carmelo; viver na oração e no serviço, no seguimento a Jesus Cristo, a viver em Seu obséquio, sendo obediente ao que Maria diz em Caná: ‘Fazei tudo o que Ele vos disser’ (Jo 2 , 5)”, testemunhou Ir. Paulo Daher.