“Passar da carne de Cristo à carne dos irmãos”

 

A Páscoa faz florescer “o Cristo Ressuscitado, a nossa justificação, a santidade da Igreja”, afirmou o Papa Francisco nesta quarta-feira, durante a Audiência Geral.

 

Nesta quarta-feira (05/04), o Papa Francisco terminou seu ciclo de reflexões a respeito da Santa Missa. Hoje ele falou sobre os Ritos Finais e chamou a atenção dos fiéis para o verdadeiro sentido da participação dos católicos na Eucaristia semanal.

“Os cristãos não vão à missa para cumprir um dever semanal e depois se esquecer. Vão à missa para participar da ressurreição do Senhor e depois viver mais como cristãos. Abre-se o testemunho cristão, para sermos mais cristãos”, afirmou.

Saímos da igreja para “ir em paz” para levar a bênção de Deus para a nossa vida e as atividades cotidianas, destacou o Pontífice.

>>>Jesus é o modelo de todo missionário carmelita

Participar da Eucaristia, portanto, compromete os batizados diante do seu próximo, principalmente dos pobres, educando-os a passar da carne de Cristo à carne dos irmãos, na qual Ele espera ser reconhecido, servido, honrado e amado.

Homens e mulheres eucarísticos

Segundo o Papa, é preciso passar da celebração à vida, portanto, cientes de que a Missa encontra cumprimento nas escolhas concretas de quem se deixa envolver em primeira pessoa nos mistérios de Cristo. “Não devemos nos esquecer que celebramos a Eucaristia para aprender a nos tornar homens e mulheres eucarísticos.”

>>> Seja um carmelita. Ser carmelita é ser contemplativo, é ser missionário.

Na prática, explicou, “isso significa deixar agir Cristo nas nossas obras: que os seus pensamentos, sentimentos e escolhas sejam os nossos. Isso é santidade. São Paulo expressa bem este conceito quando diz: ‘Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim’. Este é o testemunho cristão”.

A Eucaristia nos separa do pecado

“A missa é como o grão, que na vida cresce nas obras boas, nas atitudes que nos fazem parecer com Jesus. Os frutos da Missa, portanto, são destinados a amadurecer na vida de todos os dias”, afirmou Francisco, recordando que a Eucaristia nos separa do pecado.

“Aproximar-se regularmente ao banquete eucarístico renova, fortifica e aprofunda o elo com a comunidade cristã à qual pertencemos, segundo o princípio que a Eucaristia faz a Igreja.”

Uma vez que a presença real de Cristo no Pão consagrado não termina com a Missa, a Eucaristia é conservada no sacrário para a Comunhão aos enfermos e para a adoração silenciosa do Senhor no Santíssimo Sacramento; o culto eucarístico fora da Missa, seja em forma privada, seja comunitária, nos ajuda a permanecer em Cristo.

>>> Quer ser um vocacionado carmelita?

Leia também:

>>> O caminho vocacional na Ordem do Carmo

>>> Calendário dos encontros vocacionais

A Páscoa é vivida diariamente nas obras sociais da Província

Fonte: vaticannews