Homenagens a Dom Vital, O.Carmo, na Diocese de Itaguaí

 

O bispo carmelita Dom Vital João Geraldo Wilderink, primeiro bispo da Diocese de Itaguaí, foi homenageado no dia 22 de setembro, em missa realizada na Catedral diocesana São Francisco Xavier. Durante a  Eucaristia houve a exumação dos restos mortais do bispo. Ele faleceu no dia 11 de agosto de 2014, em um acidente de carro,em Rio Claro, próximo a Lídice, onde morava no Emitério Santo Elias.

A bonita celebração foi presidida pelo bispo de Itaguaí, Dom José Ubiratan Lopes, e concelebrada por Dom Francisco Biasin, bispo da Diocese de Volta Redonda, e pelos freis da Província Carmelitana de Santo Elias: Adailson Santos, Fernando Bezerra e Paulo Ricardo. Também estiveram presentes os familiares de Dom Vital, que vieram especialmente da Holanda para cerimônia, além do padre holandês, Thiago, as irmãs carmelitas da Providência Divina, entre outros amigos e admiradores do saudoso bispo.

Em sua homilia, Dom Francisco Biasin lembrou do compromisso de Dom Vital com o povo que Deus lhe confiou como pastor. “Dom Vital buscava Deus não só para si, mas para o seu rebanho. Ele viveu a luz da gratuidade do amor de Deus”, disse.

Durante a Missa, foi exposta a urna com os restos mortais do carmelita. No momento do ofertório, foram apresentados objetos e instrumentos que pertenciam a Dom Vital, os quais,  ele usava para evangelizar.

“Ele foi um verdadeiro missionário, sempre preocupado com os índios, os pobres e necessitados”, disse emocionada a catequista Nilza.

Após a santa Missa, os fiéis se concentraram no salão paroquial, onde foi servido um lanche e em seguida, apresentação de um vídeo sobre a vida de Dom Vital. A idéia do vídeo foi de Isa Maria, que por mais de 10 anos acompanhou o trabalho missionário do bispo.  “Agradeço a todos que colaboraram para a produção desse vídeo, que traz muitas riquezas deixadas pelo nosso querido bispo”, falou.

“Dom Vital é uma mina, quanto mais se cava, mas se encontra. As pessoas estão descobrindo esse tesouro, pelos seus escritos. Ele ainda tem muito a dizer a sociedade de hoje, que vive essas realidades sociais”, declarou Dom Biasin.

Os fiéis puderam chegar até a urna, que foi colocada no interior da Igreja, e fazer a sua oração e agradecimento a Deus pela vida de Dom Vital.

Breve histórico

Dom Vital Wilderink, membro da Ordem do Carmo, era natural de Denventer, Holanda. Recebeu no batismo o nome de João Geraldo. Após três anos de formação em um seminário menor na Holanda, foi designado para o Brasil e em janeiro de 1949 chegou em Itu (SP), onde completou os estudos do seminário menor.

No ano de 1951, em Mogi das Cruzes (SP), ingressou para o noviciado, no fim do qual fez sua primeira profissão religiosa. Fez os estudos de Filosofia em São Paulo e depois foi enviado para Roma para concluir os estudos teológicos, no Colégio Internacional dos Carmelitas. Foi ordenado presbítero em 7 de julho de 1957, em Roma, Itália, e nomeado bispo em 14 de junho de 1978, sendo ordenado em 13 de agosto do mesmo ano, em Volta Redonda (RJ).

De 1978 a 1980, foi bispo auxiliar de Barra do Piraí-Volta Redonda (RJ) e vigário episcopal de Angra dos Reis e de Itaguaí (RJ); foi presidente da Comissão Pastoral da Terra – regional Rio de Janeiro; de 1991 a 1994, foi membro da Comissão Episcopal de Doutrina; de 1987 a 1990 e de 1995 a 1998, foi membro da Comissão Episcopal de Pastoral – Dimensão Bíblico Catequética. Dom Vital foi membro do Departamento de Catequese do Conselho Episcopal Latino-Americano, delegado à Assembleia Espeical do Sínodo dos Bispos para a América por eleição da Assembleia da CNBB e confirmado pelo Papa João Paulo II, em 1997. Também foi delegado do Sínodo sobre a Vida. Tinha como lema: “Testemunhar o Evangelho da Graça de Deus”.

Fonte: Pascom Itaguaí