Sodalício de São Paulo celebra 425 anos de fundação

No dia 5 de maio a Venerável Ordem Terceira do Carmo – Esplanada (SP) abriu as festividades pelos seus 425 anos de fundação. No início da tarde os membros desse Sodalício receberam a Imagem Milagrosa de Nossa Senhora, vinda de Mirassol. Na ocasião, houve a recitação do Santo Rosário.

Em seguida houve o deslocamento dos irmãos para a Igreja da Boa morte e logo depois a Ladainha de Nossa Senhora, cantada pelos Monges Beneditinos. Às 16h30 foi realizada uma procissão até a Igreja da Venerável Ordem Terceira do Carmo, com a participação dos Monges Beneditinos, da Ordem Terceira de São Francisco e membros da comunidade Aliança de Misericórdia.

Com a chegada da procissão, às 17h, houve Missa presidida pelo Prior Provincial, Frei Evaldo Xavier, O.Carm., com Vésperas cantadas pelos Monges Beneditinos. Concelebraram os freis Atanael de Almeida Lima e ThiagoBorges.

Em sua homilia, Frei Evaldo falou sobre a história desse Sodalício, destacando que ele foi o primeiro de todo o território nacional e por isso é considerado o “Sodalício Mãe”.

“Com essa semente plantada na precariedade da Vila de São Paulo iniciante, na pobreza e nos desafios da fundação de uma cidade que, 400 anos depois, se tornaria a maior cidade da América do Sul, os primeiros irmãos que vieram de Portugal deixaram o maior dom que poderiam ao Brasil e à São Paulo: o amor à mãe de Deus e nossa mãe”, disse.

Ao final, exortou todos os Irmãos Terceiros a que terem na alma e no coração o vigor dos seus antepassados: “a fé forte que faz dar frutos e germinar; a fé com a seiva da vida, que fez com que essa semente singela e humilde que foi aqui jogada germinasse, e continuasse germinando, ao londo de 400 anos. Essa Ordem Terceira é mãe de todas as demais: as grandes ordens terceiras de Minas Gerais e do interior de São Paulo nasceram dessa”, complementou.

Ouça a homilia completa no canal do “Olhar Jornalístico”

As festividades nesse dia foram encerradas com uma homenagem à Virgem Santíssima e uma confraternização no salão nobre da igreja.