Agosto é o Mês das Vocações

Vocação. Do latim, vocare, que significa chamado. Conforme costume da Igreja no Brasil, agosto é reconhecido no calendário como Mês Vocacional desde 1981, quando, em sua 19.ª Assembleia Geral, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o instituiu. É um tempo propício para orações, reflexões e ações nas comunidades. O tema escolhido para. o Mês Vocacional de 2022 é “Cristo Vive! Somos suas testemunhas” e no lema: “Eu vi o Senhor!” (Jo 20,18).

Em entrevista a CNBB, o padre João Cândido Neto, assessor da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, salientou que a proposta do Mês vocacional 2022 é anunciar a verdade de que Cristo vive.

“Nós somos suas testemunhas, a exemplo de Maria Madalena no Evangelho, e a nossa missão como Igreja é anunciar a todo mundo que Cristo está vivo e que nós vimos o Senhor, experimentamos a sua presença, experimentamos que ele caminha conosco, fala conosco, que o seu amor é maior do que a própria morte”, disse.

Padre João Cândido disse que o tema do Mês Vocacional quer ajudar toda a Igreja do Brasil a testemunhar o centro da fé cristã. “Jesus está ressuscitado, venceu a morte e ele nos chama para ser sua testemunha no meio deste mundo”.

“Que este Mês Vocacional possa aquecer o coração de cada pessoa, de cada cristão para esse despertar vocacional de toda a Igreja. A Igreja vive a vocação sempre como graça e missão porque Jesus está vivo e nós somos testemunhas”, finalizou.

A cada domingo do mês de agosto, é celebrada uma vocação e  acontece da seguinte forma:

1º Domingo – Vocações sacerdotais – Dia do padre

A escolha deste tema no primeiro domingo se deve ao fato de, no dia 4 de agosto, a Igreja celebrar o dia de São João Maria Vianney, o Cura D’Ars, patrono dos padres; e também, no dia 10, a memória de São Lourenço, patrono dos diáconos.

A vocação de padre representa Cristo na comunidade, sendo seu exemplo e semelhança!

 

2º Domingo – Vocação familiar – Dia dos pais

No segundo final de semana de agosto, celebramos o Dia dos Pais e, também, o dia da vocação à vida familiar.

Já dizia São João Paulo II que: “o futuro da humanidade passa pela família”, visto que, no seio familiar são postos os fundamentos pelos quais se constrói a vida e as relações de cada ser humano, tanto na Igreja, quanto fora dela.

Cabe aos pais, com amor, compaixão e fé, fazer do seu lar um ambiente de paz e conduzir seus filhos nos valores cristãos.

 

3º Domingo – Vida Consagrada 

No terceiro domingo do mês vocacional, a Igreja lembra dos religiosos e consagrados seculares que estão sempre a serviço de Deus, por meio da oração, da missão, da educação e da caridade.

Os Consagrados dedicam o seu tempo a funções eclesiásticas, pastorais e humanitárias.

 

4º Domingo – Vocações leigas – Dia dos ministérios leigos –

Por leigos entendem-se aqui todos os cristãos, isto é, os fiéis que, depois do Batismo, constituem o Povo de Deus. (Adaptação CIC 897)

O leigo tem como vocação própria, buscar o Reino de Deus exercendo funções no mundo, no trabalho, mas encaminhando e guiando-se segundo o plano e a vontade de Deus. São chamados a ser “sal da terra e luz do mundo”.

Seja na liturgia, ministério de música, ações de caridade, na comunicação  ou nas diversas pastorais e movimentos  existentes na igreja, os leigos são vocacionados a crescerem na fé e contribuir para o louvor do Criador e do Redentor.

 

5º Domingo – Dia do Catequista

Nos anos em que o mês de agosto possui cinco domingos, a Igreja celebra neste último, o ministério dos catequistas.

“Ide por todo mundo, anunciai a boa nova a toda criatura” (Mc 16,15).

 

Todas essas vocações faladas acima são de suma importância na vida da Igreja. Mas lembremo-nos da vocação primeira e mais importante de todas: a da VIDA CRISTÃ e, consequentemente, da santidade.