Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

Breve Descrição do Carmelo Luso-Brasileiro: Das Origens do Carmo no Brasil ao desenvolvimento da Província Carmelitana Fluminense

 

1579 – O Cardeal-Rei, Dom Henrique (1578-1580), solicita aos Carmelitas, Beneditinos e Franciscanos que componham a expedição de Frutuoso Barbosa rumo ao Brasil.

1579 – O Capítulo Provincial de 9 de Outubro acolhe a vontade do Cardeal-Rei. O Provincial recém-eleito era Frei Damião da Costa, mas por ainda não ter havido confirmação de Roma o frade que governava era frei João Caiado (Cajado), Primeiro Definidor (Conselheiro).

1580 – O Dito Provincial de 26 de Janeiro defere o convite do monarca.  A intenção era de se fundar um Convento na Paraíba, entretanto por causa de um forte temporal a expedição se desviou para Pernambuco. Os primeiros missionários eram Frei Domingos Freire, como superior, Frei Alberto de Santa Maria, Frei Antônio Pinheiro e Frei Bernardo Pimentel.

1584 – Fundação do primeiro convento carmelita das Américas, o Convento de Santo Antônio do Carmo de Olinda, em terreno doado pelos oficiais da Câmara.

1586 – Os frades Frei Belchior do Espírito Santo, Frei Bento da Visitação e Frei Damião Cordeiro empreendem missão à Capital, Salvador da Bahia de Todos os Santos e fundam o convento no então conhecido Monte Calvário, região afastada do centro da cidade.

1587 – Autorização para a fundação da primeira Ordem Terceira no Brasil.

1589 – Aos 31 de Agosto, Frei Pedro Viana e demais companheiros fundam o Convento do Carmo de Santos.

1590 – Chegada de frades missionários a São Sebastião do Rio de Janeiro e estabelecimento em terreno com uma pequena capela dedicada a Nossa Senhora do Ó.

1591 – O Capítulo Provincial realizado em Lisboa, aos 5 de Abril, condecora os frades Frei Damião Cordeiro (Primeiro Prior do Convento do Carmo da Bahia) e Frei João Seixas em agradecimento aos trabalhos prestados nas fundações do Brasil.

1593 – Início da fundação do Hospício de Angra dos Reis.

1595 – O Capítulo Provincial reunido em Lisboa, aos 15 de Janeiro, define, entre outras coisas, que os conventos da Ordem no Brasil constituíssem uma Vigararia com sede na Bahia e a eleição de Frei João Seixas como primeiro Vigário Provincial do Brasil.

1596[1] – Fundação do Convento do Carmo da Ladeira – SP.

1600 – Fundação do Convento do Carmo de São Cristóvam de Sergipe d’El Rei.

1608 – Fundação do Convento do Carmo da Paraíba.

1615 – Inicio dos trabalhos missionários no Norte do Brasil com Frei Cosme da Anunciação e Frei André da Natividade.

1616 – Fundação do Convento de São Luís do Maranhão, considerado o primeiro núcleo religioso no norte do Brasil.

1624 – Fundação do Convento do Carmo de Belém do Pará. Os dois conventos do Maranhão mais o de Belém e as numerosas missões nas margens dos rios Negro, Madeira e Solimões formavam uma Vigararia separada, sendo Francisco da Purificação seu primeiro Vigário Provincial.

1629 – Fundação do Convento do Carmo de Mogi das Cruzes-SP.

1635 – O Carmelo brasileiro contava com aproximadamente 200 frades.

1636 – Fundação do Convento na Vila do Recife de Pernambuco.

1640 – O prior geral Teodoro Stracio criou uma Província brasileira, sendo em seguida anulada esta decisão, mantendo a divisão da Vice-Província do Estado do Brasil (com 9 conventos) e o Estado do Maranhão (3 conventos).

1647 – Fundação do Convento do Carmo na Vila Alcântara – Maranhão.

1675 – Havia 186 frades na Vice-Província do Brasil e 60 na Vice-Província do Maranhão.

1677 – Início da Reforma Turonense no Carmelo brasileiro no Convento de Goiana com a chegada dos frades reformados: Frei João de São José, Cristóvão de Cristo, Manuel da Assunção e Ângelo de São José.

1685 – Inicio da construção do Convento do Carmo do Recife nas dimensões atuais.

1685 – O Capítulo Geral, reunido aos 22 de Setembro, define a criação Vigararia do Rio de Janeiro (que incluía os conventos de Santos, Angra dos Reis, São Paulo, Mogi das Cruzes, Rio de Janeiro e Vitória) e a Vigararia da Baía-Pernambuco (com os conventos de Olinda, São Cristóvam, Sergipe, Paraíba, Recife, Goiana, Baía e Rio Real). Divisão confirmada em 8.2.1686 pelo Papa Inocêncio XI, o primeiro Vigário Provincial do Rio de Janeiro foi Frei Bento Garcez e o primeiro Vigário Provincial da Baía-Pernambuco, Frei Manoel d’Assunção.

1686 – A Reforma Turonense é iniciada no Hospício do Recife de Pernambuco.

1688 – Fundação do Convento do Carmo de Cachoeira (Bahia).

1719 – Fundação do Convento do Carmo de Itu (São Paulo).

1720 – O Breve do Papa Clemente XI de 20 de Abril eleva as duas Vigararias, Rio de Janeiro e Baía-Pernambuco, às Províncias independentes de Portugal.

1720 – Aos 21 de Novembro, o Prior Geral Frei Carlo Cornaccioli nomeia o primeiro Prior Provincial da recém-criada Província Carmelitana Fluminense, o Frei Francisco Paes da Purificação.

1722 – Aos 18 de Abril, o primeiro Prior Provincial da Província Baía-Pernambuco, Frei Inácio de Santa Inez, é empossado.

1724 – Aos 16 de Dezembro, o Padre Geral, Frei Gaspar Pizzolanti concede independência aos Conventos de Goiana, Paraíba e Recife (Reforma Turonense) transformando-os numa Vigararia independente da Província Baía-Pernambuco. Frei Miguel da Assunção é seu primeiro Vigário Provincial.

1744 – Aos 28 de Março é criada a Província Reformada de Pernambuco, tendo aproximadamente 100 frades e sendo Frei Luís de São Jerônimo seu primeiro Prior Provincial.

1755 – O Grande Terremoto assola a cidade de Lisboa. Dá-se no início do mandato de Sebastião de José de Carvalho e Melo, Marquês de Pombal, como Secretário de Estado dos Negócios Internos do Reino.

1759 – Os jesuítas são expulsos do território português e junto a eles houve a primeira proibição de abertura de noviciado das outras ordens religiosas no território português.

No final do séc. XVIII havia cerca de 500 religiosos carmelitas no Brasil.

1808 – Aos 8 de Março, chegada da corte portuguesa ao Rio de Janeiro ocupando o Convento do Carmo e transformando a Igreja do Carmo em Capela Imperial. Os frades foram compensados com o Seminário de Nossa Senhora da Lapa do Desterro que começou a ser construído em 1751.

1888 – Primeira tentativa de restabelecimento do Carmelo brasileiro com a vinda de 2 frades malteses e 1 irlandês.

1889 – Proclamação da República, abolição das leis imperiais e a concessão de liberdade às Ordens Religiosas.

1890 – 8 Frades remanescentes à Reforma Pombalina no Brasil (3 na Província do Rio de Janeiro – Frei Inácio, Frei Muniz e Frei Manoel, 2 na da Baía – Frei Inocêncio e Frei João, 1 na do  Maranhão e 2 na de Pernambuco – Frei Alberto e Frei Augusto), Frei Luís Galli, Prior Geral, inicia o restabelecimento das províncias pedindo ajuda à Província Carmelitana de Espanha.

1894 – Em Julho, chegada dos carmelitas espanhóis para a Província de Pernambuco.

1896 – Transferência de religiosos da Província de Pernambuco para o Convento do Rio de Janeiro e para a Província da Bahia.

1898 – Chegada de mais religiosos espanhóis designados para os conventos do Rio de Janeiro e de Angra dos Reis.

1898 – Registro de Pessoa Jurídica de direito privado da Província Carmelitana Fluminense em 16 de Junho.

1900 – Regresso dos missionários espanhóis devido as graves enfermidades como o beribéri, a febre amarela e o tifo malárico.

1904 – Em Abril, O Padre Geral, Frei Pio Mayer, por ocasião do Capítulo Provincial, transfere a incumbência do restabelecimento das Províncias Fluminense e da Bahia à Província da Holanda.

1904 – Aos 26 de Novembro chegam os primeiros missionários holandeses, 5 padres e 2 irmãos, os frades Frei Serapião Lange, Frei Gregório Meijer, Frei Simão Jans, Frei Cirilo Thewes, Frei Constâncio Lokkers, Frei Guilherme Meijer, Frei Anastácio Korterik.

1904 – Restabelecimento do Convento do Carmo da Lapa – RJ.

1905 – Restabelecimento do Convento do Carmo da Ladeira – SP.

1906 – Restabelecimento dos Conventos do Carmo de Angra dos Reis – RJ e de Santos – SP.

1917 – Restabelecimento do Convento do Carmo de Itu – SP.

1919 – Restabelecimento do Convento do Carmo de Mogi das Cruzes – SP.

1922 – Reerguimento da Província Carmelitana Fluminense, tornando-se uma das maiores da Ordem antes do Concílio Vaticano II.

1928 – Início das obras do Convento e Igreja do Carmo da Bela Vista – SP.

1929 – Desenvolvimento da Prelazia Apostólica de Paracatú pelos frades carmelitas.

1934 – Inauguração da Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Bela Vista – SP.

1940 – Fundação do Convento São José – Itaim Bibi – SP.

1941 – Fundação do Convento do Carmo do Sion, Belo Horizonte – MG.

1947 – Fundação do Convento do Carmo em Vicente de Carvalho – RJ.

1948 – Fundação Mosteiro Flos Carmeli de monjas carmelitas observantes, e fundação do Convento do Carmo de Jaboticabal – SP.

1950 – Elevação da Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Bela Vista – SP à categoria de Basílica Menor.

1951 – Frei Ulrico Goevert junto a outros frades da Província da Alemanha Superior inicia uma missão no sul do Brasil; Comemoração do VII centenário do escapulário; peregrinação com a imagem de Nossa Senhora do Carmo pelas capitais e principais cidades do Brasil; Congresso do escapulário.

1952 – A Província da Baía incorpora-se a Província Fluminense.

1955 – Ereção do Comissariado Carmelita do Paraná.

1958 – Aos 14 de Setembro um incêndio consome o Convento do Carmo da Lapa do Desterro.

1959 – Fundação do Convento e da Igreja do Carmo de Brasília – DF.

1960 – Frei Pedro Tomás Geurtse, na qualidade de Procurador, consegue os registros da Província como entidade beneficente e de utilidade pública federal.

1963 – Conversão do nome de “Província Carmelitana Fluminense” para “Província Carmelitana de Santo Elias” sob o governo de frei Crisóstomo Ubbink, Prior Provincial, e seu Conselho.

1965 – Fundação do Convento do Carmo de Unaí – MG.

1991 – Fundação Mosteiro Mater Carmeli de monjas carmelitas observantes, em Paranavaí – PR.

1995 – Fundação do Convento Santa Edith Stein, Belo Horizonte – MG.

1995 – Fundação do Convento do Carmo de Palmas – TO.

1998 – Fundação do Eremitério Fonte de Elias em Lídice – RJ, por Dom Frei Vital Wilderink.

2012 – Fundação do Convento São Nuno de Santa Maria, Belo Horizonte – MG.

2018 – Início da missão em Eldorado do Sul – RS.

2019 – Fundação do Mosteiro Santa Maria do Monte Carmelo e São José, de monjas carmelitas observantes, em São João del Rei – MG.

2019 – A Província Carmelitana Fluminense inicia, ad experimentum, o envio de missionários ao Comissariado de Malta para reestabelecer a presença carmelita na Bolívia.

 

REFERÊNCIAS

BOAGA, Emanuele. História do Carmelo Brasileiro. Roma: data desconhecida.

CATÁLOGO, da Província Carmelitana de Santo Elias. Rio de Janeiro: 2019.

CAXITO, Pedro. Apanhado da História do Carmelo Brasileiro. Local e data desconhecidos.

GARCIA, Cristiano. Cronologia Histórica da Ordem do Carmo no Brasil. Local e data desconhecidos.

NECROLÓGIO, da Província Carmelitana de Santo Elias. Local e data desconhecidos.

PRAT, André. Notas Históricas Sobre as Missões Carmelitanas no Extremo Norte do Brasil: Séculos XVII e XVIII. Recife: 1942.

[1] Há divergência nos dados dos historiadores acerca da fundação deste convento. Frei André Prat em sua obra Notas Históricas Sobre as Missões Carmelitanas no Extremo Norte do Brasil: séculos XVII e XVIII, de 1942, defende a data de 1596, enquanto Frei Emanuele Boaga, em seus escritos História do Carmelo Brasileiro, e Frei Pedro Caxito, na obra Apanhado da História do Carmelo Brasileiro, a de 1594.