Crescimento em Cristo

Como acontece na vida, o mesmo se dá com o crescimento. É Deus quem faz o botão tornar-se flor e a flor fruto. É por Seu poder que a semente se desenvolve, “primeiro a erva, depois a espiga, e por último o grão cheio na espiga”.

 

Gosto de contemplar e meditar a beleza da natureza. Observando o crescimento das plantas, medito no nosso crescimento em Cristo.

A transformação do coração, pela qual nos tornamos filhos de Deus, a Sagrada Escritura chama de novo nascimento. Também é comparada à germinação da boa semente plantada pelo lavrador. Do mesmo modo, os que acabam de se converter a Cristo devem, “como meninos novamente nascidos”, crescer até à estatura de homens e mulheres em Cristo Jesus. Ou, como a boa semente lançada no campo, devem crescer e produzir fruto. Isaías diz que serão chamados “árvores de justiça, plantação do Senhor, para que Ele seja glorificado”. Assim, da vida natural pode-se tirar ilustrações que nos ajudam a compreender melhor as misteriosas verdades da vida espiritual.

A ciência e a habilidade humana não são capazes de produzir vida no menor objeto da Natureza. É unicamente mediante a vida que o próprio Deus  comunicou, que a planta ou animal vivem. Assim, é somente por meio da vida de Deus que a vida espiritual é gerada no coração humano. A menos que o homem nasça “de novo” não pode receber a vida que Cristo oferece.

Como acontece na vida, o mesmo se dá com o crescimento. É Deus quem faz o botão tornar-se flor e a flor fruto. É por Seu poder que a semente se desenvolve, “primeiro a erva, depois a espiga, e por último o grão cheio na espiga”.

Lembro aqui o profeta Oséias quando diz, referindo-se a Israel, que ele “dará flores como o lírio”. “Eles crescerão como o trigo, e darão frutos como a parreira.” (Oséias 14,5) . Jesus nos sugere: “Vejam como crescem as flores do campo.” (Lucas 12,27). As plantas e flores não crescem pelo seu próprio cuidado, ansiedade ou esforço, mas por receberem aquilo que Deus forneceu para lhes dar vida. A criança não pode, por sua própria ansiedade ou esforço, conseguir crescimento espiritual.

A planta e a criança crescem recebendo do seu ambiente aquilo que lhes serve à vida – ar, luz do Sol e alimento. O que esses dons da Natureza são para o animal e a planta, é Cristo para os que nEle confiam: “Luz perpétua”, “Sol e Escudo”. (Isaías 60,19; Salmo 84,11). Será “para Israel como orvalho”. “Descerá como a chuva sobre a erva colhida.” (Oséias 14,5). Ele é água viva, “o pão de Deus… que desce do Céu e dá vida ao mundo”. (João 6,33).

Pois bem, como a flor se volta para o Sol, para que seus brilhantes raios a ajudem a desenvolver beleza e simetria, assim devemos volver-nos para o Sol da Justiça, a fim de que a luz do Céu incida sobre nós e nosso caráter seja desenvolvido à semelhança de Cristo.

Sou frade carmelita. E como carmelita buscamos em Cristo um grande crescimento na vida interior. Convido você a olhar para a natureza e nela encontrar o toque daquele que nos fala quando a mente está serena, desperta, atenta  e receptiva para acolher o toque do amor do nosso Deus.

Com mãos postas, abençoo você!!!!!!

Frei Rothmans Darles de Campos, O.Carm