Frei Eduardo fala da necessidade de humanização

No dia 21 de junho, a Associação Beneficente São Martinho, uma das obras sociais mantidas pela Província Carmelitana Fluminense, realizou o encontro B2B, um evento corporativo de networking, responsabilidade social e conteúdo inspirador. O encontro reuniu mais de 80 pessoas e aconteceu no Hotel Prodigy Santos Dumont.

Na abertura, Frei Eduardo Ferreira, O.Carm, fez a leitura do Evangelho de Lucas 9,11-17, que fala sobre o milagre da multiplicação dos pães, e fez uma reflexão importante sobre a necessidade de ajudar os mais necessitados:

“Hoje o Brasil tem mais de 33 milhões de pessoas passando necessidade. Mas, se não existisse o trabalho da São Martinho, poderiam ser mais. Nestes 38 anos, quantas cestas básicas foram doadas, quantas roupas foram distribuídas, quantas quentinhas distribuídas, quantos jovens foram impactados. Nós estamos vendo a necessidade dessas pessoas e buscamos ir ao encontro para supri-las. E você também pode fazer a diferença no seu dia a dia, leve algo dentro da bolsa e partilhe aquilo que você tem. Os discípulos dizem nesta passagem que as pessoas estão com fome e Jesus diz “dai vós mesmo de comer”, é esse movimento que somos chamados. Cada um de nós somos chamados a partilhar””

Frei Eduardo reflete ainda sobre a necessidade de humanização.

“Além das necessidades básicas, hoje o mundo tem fome de olhar. Está todo mundo cabeça pra baixo, todo mundo no celular. Isso é muito desumano. Falta HUMANIZAÇÃO. O povo tem fome de humanidade, de pessoas que olham para elas, para suas necessidades e supram a necessidade. Aqui estamos para que juntos possamos suprir as necessidades.”

Finalizou agradecendo as empresas e parceiros presentes.

O evento trouxe ainda a presença do escritor, empresário e TEDx Speaker Pedrinho Salomão como palestrante. Em sua fala, ele falou do valor do presente.

“Por conta da quarta revolução tecnológica, a gente consegue resolver quase tudo do celular e isso trouxe uma característica que todos nós temos: TEMOS PRESSA! Somos incapazes de esperar, porque precisamos tudo no momento que queremos. O resultado é quase sempre a DESUMANIZAÇÃO. Pensamentos positivos não mudam mundo. O que muda o mundo são atitudes. Caridade é doar o que você não tem ou que tem pouco, caridade precisa doer. E a maior de todas as caridades é o TEMPO. Prestar a atenção aos detalhes, as pessoas. A pressa desumaniza. Vivemos por dois anos o isolamento, mas o pior isolamento, o que mais destrói é o afetivo e emocional. Se formos para ser velozes, sejamos velozes para sorrir, velozes para mudar o mundo, sejamos caridosos”

O encontro contou ainda com apresentação musical do Centro de Música Jim Capaldi (projeto da São Martinho), apresentações institucionais, apresentação do cantor Plínio Oliveira e coffee break realizado pelo projeto Gastronomia Educativa (também da São Martinho).