Frei Lucas fala sobre a alegria de pertencer a Ordem do Carmo

No domingo, 8 de maio, será realizada a celebração eucarística na qual emitirá a Profissão Solene dos Votos de Pobreza, Castidade e Obediência, na Ordem do Carmo, o frade Frei Lucas de Melo Pires, O.Carm. A Eucaristia acontecerá às 19h, na Paróquia Nossa Senhora Medianeira, em Eldorado do Sul.

Frei Lucas é natural de Mogi das Cruzes, São Paulo, filho único de Antônio da Silva Pires e Iara Guaracy de Melo Pires. Ele conta que desde quando era pequeno ouvia a voz de Deus que o chamava.

“Está voz não era como as outras, captadas pelos ouvidos através de vibrações físicas e mecânicas, mas alguma coisa de mais profundo que me tocava por dentro encantando-me e interpelando-me pela sua tão grande beleza e grandeza. É difícil explicar a vocação. Ela vem Deus e, portanto, é um mistério. Ela é mais alta e poderosa do que eu. Da minha parte, o que posso fazer é permanecer em silêncio e acolhe-la como um presente cujo mérito de possuí-lo não o tenho.  O Carmelo é o meu carisma. Os carismas são dons dados pelos Espírito Santo aos Filhos de Deus batizados em vista da construção do Reino de Deus. Carisma é sinônimo de serviço. Existem vários deles na igreja, mas o meu é ser carmelita. E tenho a alegria de dividir este tão belo carisma com tantos irmãos que vivem nos conventos, mosteiros, eremitérios, congregações religiosas, leigos da Ordem Terceira do Carmo, que compartilham do mesmo carisma.”

Ele partilha ainda chegar a este dia, dia que professará definitivamente suas promessas, traz um misto de sentimentos, e conta o que deseja para os próximos anos.

“Penso que, antes de tudo, existe a gratidão a Deus por me ter confirmado, bem tantos momentos, neste projeto que ele mesmo traçou para mim. A vocação é algo muito íntimo entre Deus e aquele que foi chamado. Podem acontecer muitas coisas no decorrer de uma história vocacional. Mas tudo depende desta relação entre aquele que chama e o ouvinte que diz sim, um sim que deve ser dado todos os dias. Se esta relação é bem  consolidada, todo o resto é secundário. São barulhos incapazes de nós atingir. Para os próximos anos, desejo que eu seja capaz de realizar o projeto que Deus sonhou para mim. Ter projeto significa ter uma meta. A vida se torna inútil quando não se tem um meta, um lugar para se chegar depois da longa caminhada que é a nossa vida.”

Convidamos a todos para essa importante celebração. A nossa Ordem se alegra com nosso confrade neste momento tão significativo de sua vida e sua caminhadas vocacional. Pedimos também orações por Frei Jefferson, para que, fortalecido por Deus, possa perseverar no amor à Igreja e no serviço aos irmãos e ao povo fiel.