Frei Paulo Gollarte, O.Carm, celebra 70 anos de ingresso na Ordem

Neste dia 21 de janeiro, Frei Paulo Gollarte, O.Carm, celebra 70 anos de ingresso na Ordem do Carmo. E para a Província Carmelitana de Santos Elias é uma grande alegria comemorar esta data especial na vida do frade carmelitano. Atualmente, Frei Paulo é Prior do Convento São José e está servindo na Paróquia Santa Teresa de Jesus, em Itaim-Bibi, São Paulo.

“Hoje celebro 70 anos da entrada para o noviciado em Mogi das Cruzes (SP), amanhã celebro 69 anos de profissão religiosa. Não posso dizer que passou qual um vente, porque tudo é vivido dia a dia. Muitas foram as transformações da vida religiosa e da vida carmelitana. Posso garantir que a aragem ou o tufão do Concílio Vaticano II trouxe grandes transformações: um um vento de primavera. Levou-me a reconhecer mais a fundo a vida religiosa que professei. A Ordem do Carmo foi muito receptiva à atualização aos novos tempos. Foram várias ondas que movimentaram este processo e, reconheço sinceramente, que a a atual corresponde bem ao que o livro do Apocalipse chama a volta ao primeiro amor” partilhou Frei Paulo, O.Carm.

Conheça um pouco mais sobre a trajetória do frade carmelita:

Frei Paulo Gollarte é paulistano, nasceu no bairro da Mooca, em 09 de agosto de 1932.

Em 1946, passou a frequentar o Colégio Santo Alberto dos Padres Carmelitas, onde foi se afeiçoando cada vez mais a Igreja, vislumbrando o testemunho de vida dos padres que exerciam a arte de ensinar

A Basílica do Carmo sempre lhe despertou grande fascínio, fazendo com que aspirasse celebrar no altar junto ao qual tantas vezes serviram.

Em 1949, ingressou para o Seminário do Carmo, no Município de ltu, onde concluiu o segundo grau.

Prosseguindo em sua caminhada, ingressou depois no noviciado, que é a iniciação religiosa. Emitiu seus votos de consagração, já como frade, em 1953, no Convento do Carmo de Mogi das Cruzes. E no dia 19 de fevereiro de 1955 emitiu seus votos definitivos na Ordem do Carmo.

Em 1956, foi enviado a Roma, terminando o curso de Teologia no Colégio Internacional Santo Alberto. Foi ordenado sacerdote na capela do mesmo Colégio, em 7 de julho de 1957, pelas mãos de D. Donald Lamont, missionário carmelita na antiga Rodésia, atual Zimbabwe, na África. Era o pontificado de Pio XII.

Em 1958 graduou-se em Teologia no Colégio Internacional Santo Alberto de Roma.

Em 1960 fez mestrado na Faculdade de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma e em junho de 1963 defendeu a tese de doutorado. Voltando para Roma, em 1962, ainda assistiu é abertura do Concilio Vaticano II, pelo Papa Joao XXIII.

Retorna ao Brasil em 1963, celebrando no dia 6 de julho sua primeira missa solene na igreja São Rafael da Mooca. Posteriormente, é transferido para Teresópolis.

Em 1966, foi transferido para o convento de Belo Horizonte — MG, encarregado da formação dos estudantes carmelitas do curso de Filosofia. Em 1969, em São Paulo, exerce como vigário da Paróquia Santa Teresa de Jesus, no bairro do Itaim-Bibi.

Em 1970 convalida seus estudos de filosofia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mogi das Cruzes, OMEC. Em 1971, é eleito membro da Sociedade Brasileira de Filósofos Católicos.

Por dois triênios 1988-1990, 1997-2002, consecutivos foi eleito Superior Provincial da mesma Província e do Comissariado geral de Portugal. No sexênio de 1990 a 1996, foi nomeado pároco da Paróquia de Santa Teresa de Jesus e Coordenador das paróquias do Setor Jardins, na Arquidiocese de São Paulo.

Em 2014 foi eleito já com 83 anos de idade, terceiro conselheiro do governo da Província Carmelitana de Santo Elias.

Em 2015 foi perito do provincial para a congregação das províncias em Fátima, em Portugal.

É autor de livros, artigos para revistas e editorais.

Desde 1969, está servindo na Paróquia Santa Teresa de Jesus, no bairro do Itaim Bibi, exercendo suas funções pastorais.