Profissão dos votos simples do Frei Juracy Pereira, O.Carm

Neste domingo, dia 9 de janeiro, a Província Carmelitana de Santo Elias com a profissão dos votos evangélicos do Frei Juracy Pereira, O.Carm.

A Santa Missa aconteceu no Convento de São Nuno, na casa do Noviciado, na capela dedicada à Divina Misericórdia, no bairro de Jaqueline, em Belo Horizonte (Minas Gerais).

A celebração foi presidida pelo Prior Provincial, Frei Adailson Quintino dos Santos, O.Carm, e concelebrada pelo mestre de noviço e conselheiro provincial, Frei Fernando Bezerra, O.Carm, pelo prior conventual Frei Vicente Maciel, O.Carm, Frei Jerry Fonseca, O.Carm e  pelo Frei Bruno Schröder, O.Carm.

No dia em que a Igreja nos convida a fazermos memória do nosso batismo ao celebrarmos o Batismo do Senhor, o jovem religioso assumiu na sua vida uma forma radical no seguimento de Jesus Cristo em resposta e comunhão a sua vocação batismal.

Frei Juracy Pereira nasceu em Senhor do Bonfim, na Bahia, e ingressou no postulantado da Ordem em 16 de fevereiro de 2020.  Ele conta que o seu despertar vocacional se deu na paróquia, pois já era coroinha há 9 anos, e durante este tempo, sentiu o chamado vocacional.

Para ele, o Carmelo é uma escola de oração, quando se pensa num carmelita, se pensa na oração, aquele que tem intimidade com Deus. 

“Finalizando o noviciado e dando esse passo, a sensação é gratificante, me identifiquei de tal maneira que posso dar mais um passo na certeza que estou no caminho certo. Transborda em mim a gratidão, pois Deus tem realizado grandes coisas. Desejo continuar servindo a Província, correspondendo as expectativas, me dedicando ao serviço e a vida fraterna”, partilhou.

Com a profissão pública e solene dos conselhos evangélicos de castidade, pobreza e obediência, o frade se consagra a  Deus por mediação da Igreja, entrega-se à sua glória, à edificação do Corpo Místico de Cristo e à salvação do mundo.

Por meio da castidade consagrada testemunha seu amor preferencial a Cristo.

Com o voto de pobreza o desprendimento dos bens terrenos, a humildade e sobriedade no uso das coisas, a assiduidade no trabalho e o abandono confiado na Providência.

Com o voto de Obediência imita a Cristo que veio ao mundo para fazer vontade do Pai, e obedeceu até à morte na Cruz.

Os três Votos professados por religiosos e religiosas estão enraizados nas Escrituras. Eles são uma expressão dos valores do Evangelho.

“Os Votos são uma realidade vivida. São valores evangélicos proclamados publicamente na Igreja por homens e mulheres. (…) É preciso compreendê-los como um contexto ou uma condição para seguir Jesus Cristo hoje. Eles apontam para o futuro, para o eskáton. No entanto, eles também são um modo de viver e testemunhar hoje a presença misericordiosa de Deus no mundo. (…) No carisma Carmelitano, a busca pela face de Deus no contexto da vida comunitária e no serviço ao povo de Deus é o local e o processo para se viver os conselhos evangélicos.

(…) O carisma carmelitano é uma expressão do chamado evangélico à constante conversão em nossos relacionamentos com Deus. Ele é uma expressão do que significa seguir Jesus. Então, os três Votos tornam-se uma outra maneira de ajudar nesta experiência contínua de conversão. Uma vida de oração, vivida em comunidade e no serviço aos outros, torna-se o contexto para a vivência dos votos como religiosos.”[1]

Os Votos, vividos no contexto carmelitano, devem ajudar o religioso no processo que “o transforma na existência amorosa de Deus”.