A formação, como educação permanente da fé, é um direito dos leigos(as) e um dever da Igreja, para que possam assumir plenamente a responsabilidade de sujeitos eclesiais, “chamados para crescer, amadurecer continuamente, e, dar cada vez mais fruto, tal como ...