Advento: tempo de preparar-se para a vinda do Menino Jesus

 

A palavra Advento vem do latim (Adventus) e significa chegada, vinda. É tempo de preparação para a solenidade do nascimento do Salvador: Jesus Cristo. O Advento marca o início de um novo Ano Litúrgico.

O Ano Litúrgico não segue o calendário civil. Começa antes e termina antes, porque segue o calendário da celebração da vida de nosso Senhor ao longo de um ano. Começa, portanto, com o primeiro domingo do Advento e se encerra com a última semana do Tempo Comum. No 34º Domingo do Tempo Comum celebra-se a solenidade de nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo. É a coroa do Ano Litúrgico, que tem início com a encarnação e termina na glorificação.

O Tempo do Advento tem sempre 4 domingos e sua cor litúrgica é predominantemente a roxa, expressando ser este um tempo de recolhimento, uma purificação da vida pela justiça e pela verdade, preparando os caminhos do Senhor. No terceiro Domingo do Advento (chamado Gaudete), porém, a cor das vestes do presidente da celebração (estola e casula), da ornamentação do ambão e do altar poderão ser rosa, simbolizando uma quebra na austeridade, um sentimento de alegria pela proximidade do Natal.

Este domingo é chamado “domingo da alegria”, porque a antífona de entrada começa com o imperativo: “Alegrai-vos!”, e o texto da segunda leitura também inicia com o “Estai sempre alegres”. Essa antífona de entrada exclama: “Alegrai-vos sempre no Senhor. De novo eu vos digo: alegrai-vos! O Senhor está perto!” (Fl 4, 4.5). Por isso como expressão dessa alegria, pode-se usar, no lugar do roxo, a cor rosa, no tom conhecido como “rosa antigo”. É um roxo suavizado, que exprime a exultação pela aproximação do Santo Natal.

Alegrai-vos! Alegremo-nos! O Senhor está perto! Está próximo o Natal; está próxima a Vinda do Senhor; está próximo de nós o Salvador nosso nos diversos momentos de nossa existência! Ele não é Deus de longe; é perto: seu nome será para sempre Emanuel, Deus-conosco!

A Espiritualidade do Advento

A espiritualidade do Advento deve ser descoberta e vivenciada a partir das palavras e gestos das grandes personagens desse tempo: os profetas (sobretudo Isaías), João Batista e Maria.

Os profetas anunciam a vinda do Messias;

João Batista o mostrou próximo de nós, viveu uma vida penitente e santa;

Maria O ofereceu ao mundo e viveu o mistério da encarnação na docilidade à vontade de Deus e no silêncio.

Por isso neste Tempo Litúrgico fala-se muito em espera vigilante, expectativa ativa e esperança operosa.

A espiritualidade do Advento não é uma espiritualidade passiva ou fechada dentro da pessoa. Ao contrário, ela se derrama para os outros.

Maria dá o exemplo: ela se declara serva de Deus, e fica grávida de Jesus, pela ação do Espírito Santo. Mas logo corre, apressada, à casa de Isabel, a fim de ajudá-la. É serva de Deus e servidora do povo necessitado. Imitemos seu exemplo.

Fonte: BORTOLINI, Padre José. Coleção Por que Creio. Advento e Natal. São Paulo: Paulus, 2006.